Médicas da FHSFA participam de simpósio no Albert Einstein

- Categoria: Notícias

Coordenadora do serviço de Mastologia e Coordenadora médica do serviço de patologia da Fundação Hospitalar São Francisco Assis participaram de simpósio sobre “Preceptoria: Abordagem Multidisciplinar do Câncer de Mama Inicial” promovido pelo Hospital Israelita Brasileira Albert Einstein; apenas 10 mastologistas e patologistas foram selecionados em todo o país para participarem do encontro;

Hábitos que estão se tornando cada vez mais comuns entre os brasileiros como o tabagismo, consumo excessivo de álcool, sedentarismo, obesidade e exposição ao sol estão contribuindo para o crescente índice de novos casos de câncer no país. Segundo os dados revelados na pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), cerca de 1,2 milhão de novos casos da doença devem surgir entre 2018 e 2019. Além desse dado alarmante, a pesquisa ainda aponta que só neste ano, a estimativa é que surjam 582 mil novos casos – 300 mil em homens e 282 mil em mulheres. Para evitar que essa projeção se torne realidade, oncologistas de todo o país estão em constante busca por novos conhecimentos e técnicas para amenizar os danos causados pela doença e, consequentemente, salvar cada vez mais vidas. Para a coordenadora do serviço de Mastologia da Fundação Hospitalar São Francisco de Assis, Dra. Lucia Ayko, é fundamental estabelecer um relacionamento entre instituições de saúde e médicos para trocarem conhecimentos em prol da saúde do paciente. Foi pensando nisso que aceitou o convite realizado pela Sociedade Beneficente Israelita Brasileira, também conhecida como Hospital Albert Einstein, para participar de um encontro exclusivo para 10 mastologistas e patologistas do país em São Paulo. A Coordenadora médica do serviço de patologia da Fundação Hospitalar São Francisco Assis, Dra. Sonia Boechat e Oliveira, também participou do simpósio.

 Simpósio ressalta importância do cuidado multidisciplinar

Com o tema “Preceptoria: Abordagem Multidisciplinar do Câncer de Mama Inicial”, os médicos convidados tiveram a oportunidade de conhecer, durante dois dias, as instalações do bloco cirúrgico, laboratório e setor de imagem de um dos mais renomados hospitais do país, além de discutirem casos e apresentarem um pouco mais do trabalho que é desenvolvido em cada instituição. Para a Dra. Ayko, a experiência é um reconhecimento da atuação que ela vem desenvolvendo juntamente com toda a equipe oncológica da Fundação Hospitalar São Francisco de Assis e uma oportunidade de estreitar relacionamento com outros profissionais de destaque no segmento para troca de experiências.

Diante da dificuldade dos tratamentos para o câncer de mama, a equipe multidisciplinar é responsável por auxiliar na melhora de qualidade de vida do paciente. Para Dra. Ayko, “além de contar com uma excelente equipe de médicos, o serviço de atendimento multidisciplinar é essencial para o tratamento dos pacientes. O trabalho realizado pela Comissão de Humanização e toda equipe de profissionais envolvidos auxilia o paciente a manter a esperança de cura”, comenta. Para a coordenadora da Psicologia da FHSFA, Graciele Simões, através de uma escuta qualificada é possível a identificação e compreensão dos aspectos emocionais que permeiam esta fase (Diagnóstico, tratamento e acompanhamento).  “As marcas psíquicas, são singulares e dizem de uma urgência subjetiva. Portanto, à partir do vínculo estabelecido com o profissional, o trabalho será realizado buscando minimizar o sofrimento e auxiliar para uma adesão satisfatória, contribuindo para uma reestruturação do paciente frente às limitações ocasionadas pelo adoecimento. Para o paciente oncológico é de extrema importância que o tratamento seja feito de forma humanizada, considerando a integralidade do cuidado, ou seja, ele pressupõe a união entre a qualidade do tratamento técnico e qualidade do relacionamento que se constrói entre paciente, familiares e equipe”, diz.

No comments yet.


Você precisa estar logado para publicar um comentário.